Você sabe a diferença entre Igapó e Várzea?

Quando se fala em Amazônia as palavras Igapó e Várzea estão sempe presentes.

Durante o período de chuvas na região, resulta no alagamento de extensas áreas e em amplas áreas durante o período seco. Essa subida e descida das águas é chamada de pulso de inundação e ocasiona fortes modificações ao longo do ano em áreas sujeitas ao alagamento.

Estas áreas de alagamento ocupam cerca de 30% da Bacia Amazônica e são denominadas de áreas úmidas (AUs). Elas possuem solos permanentemente ou periodicamente inundados por águas rasas, ou possuem solos encharcados por águas doces, salobras ou salgadas.

As áreas ao longo dos grandes rios da Amazônia que sofrem inundação são chamadas de áreas alagáveis, e são popularmente conhecidas como várzeas e igapós.

Várzeas: São áreas férteis banhadas por rios de água branca ou barrenta. A cor das águas se dá à grande quantidade de material presente. Esses rios possuem uma recente formação geológica, transportando sedimentos das erosões dos Andes. Os principais representantes deste tipo de água são os rios Solimões, rio Amazonas, Madeira e Purus.

Igapós: São áreas banhadas pelos rios de água preta ou clara. A coloração preta ou marrom avermelhada das águas é resultado da decomposição lenta do material vegetal (folhas, galhos, troncos) que se diluem na água que passa a apresentar a coloração escura. Diferente dos rios de águas claras, os rios possuem formação geológica antiga, devido ao tempo de exposição dos solos minerais à lavagem das águas e do vento, acaba tendo um desgaste físico-químico, perdendo nutrientes, e com isso, acabam ficando pobres em minerais. As águas desses rios são ácidas, com baixos valores de pH e condutividade elétrica, com o Rio Negro o mais importante representante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *